>Dia Mundial Sem Carro 2009

>

Na manhã de 22 de setembro, Dia Mundial Sem Carro, a cidade ganhou alguns lembretes, na 23 de Maio, na Avenida Sumaré, todos alertando que SIM, é possível mudar!
Acompanhando os telejornais e as notícias via internet senti que tinha algo errado. Todas as manchetes apontavam: NO DIA MUNDIAL SEM CARRO, TRÂNSITO NÃO MELHORA.
Lendo estas palavras várias vezes fui concluindo o que estava acontecendo: as pessoas achavam que no dia mundial sem carro não teríamos trânsito, mesmo que todos continuassem usando carros!!!! A solução para todos os problemas de mobilidade então seria decretar uma data especial, entrar no carro e esperar que num piscar de olhos a cidade estivesse diferente! E pasmem! Não estava!!!
O Dia Mundial Sem Carro é uma data de convite a reflexão e experimentação. É um marco pra reunirmos forças e ações para conscientização do uso irracional dos carros, desta “carrodependência” que acompanhamos diariamente e que torna a vida de todos na cidade tão pior, com congestionamentos, poluição do ar, sonora, visual, mais stress, menos convivência…
Ali, dentro dos carros, cada um se sente mais protegido do mundo lá fora. Se algo na rua me incomoda, basta levantar o vidro, pronto! Com meus vidros escuros então, ninguém me vê aqui dentro!
Será que é melhor assim?
Precisa ser desta forma?
É isso que nós queremos de nossas vidas?
Não há realmente nada lá fora de interessante?
Nada a observar?
Ninguém que mereça o meu simples bom dia ou um sorriso?
O Dia Mundial Sem Carro não é salvação para o trânsito! É a oportunidade, a deixa, pra experimentar fazer diferente!
Muita gente se defende dizendo que: um dia só não vai fazer diferença.

Se for pra fazer como Gilberto Kassab que vai de ônibus 1 vez por ano, realmente a diferença vai ser pequena, embora simbólica, já é 1 carro a menos naquele dia…

Mas se você buscar alternativas e se abrir a idéia, encarando aquele dia como um dia pra fazer algo diferente, talvez possa mudar a sua vida para sempre…

Vejo muitos relatos de pessoas que decidiram num dia sem carro experimentar o metrô e descobriram que é bem mais agradável usa-lo e realmente incoporaram a mudança. Ou foram a pé naquele dia, ou de bicicleta e descobriram que ali naquela rua do lado tem uma padaria super legal “e eu passava todo dia de carro ali e nunca reparei!”. E aquelas pessoas que descobrem que seu colega de trabalho é também seu vizinho e acabam incorporando a carona no dia-a-dia para o trabalho.
É uma data simbólica, um lembrete, uma tentativa de abrir os olhos a outras alternativas. ALTERNATIVAS! E temos muitas! Basta se abrir a elas! Sem medo de ser feliz!
E se você não pôde fazer a sua parte na terça-feira deixando o carro em casa, saiba que você pode começar já, não precisa esperar mais um ano! Experimente! Ao menos tente!
Novamente tivemos as vagas-vivas pela cidade, resgatando espaço público:
Tivemos, é claro, a Bicicletada do Dia Mundial Sem Carro. E foi linda! Pedalamos pela cidade tentando humaniza-la, nos locomovendo em veículos movidos a arroz com feijão, mostrando que é possível buscar alternativas, é possível melhorar a vida de todos na metrópole.
Eco-táxi
Viva a bike!
Mobilidade com graça e elegância
Silêncio ao passar pelos hospitais
E uma intervenção na praça.
Fotor por Camila, Gabriela Kato e Laura Sobenes
E aqui um pouquinho do que foi essa noite linda num vídeo da Gabi Kato:
>Dia Mundial Sem Carro 2009

>Bicicletada Extra SP – 18/09/2009 – VagaViva – Use Bike Porto Seguro

>Sexta-feira foi um dia bem ciclístico. Sai de casa na hora do almoço, de carro, com destino a estação Barra Funda. De lá, peguei o metrô com destino a Sé onde tinha um compromisso. Dizer que o trecho de carro foi cansativo e lento é repetição, mas é verdade.

Às 3 da tarde estava liberada para seguir minha agenda de bike, como estava numa região com diversas opções de bicicletários Porto Seguro, decidi finalmente estrear uma bicicleta alugada lá. Segui até a estação Anhangabaú, fiz meu cadastro, peguei a bike e instruções de como chegar à Rua Augusta, minha rota para chegar na Paulista.

Descobri que antes de ser Rua Augusta, ela se chama Martins Fontes, e que é bem pertinho do Anhangabaú.

Subi tranquilamente e uma tempestade ameaçava desabar dos céus naquela tarde, felizmente não aconteceu.
Quando achei que estava no meio do caminho, eu já enxergava os prédios da Paulista. (já? como assim? tá tão gostoso pedalando..)

Dei uma passada na Praça do Ciclista, só pra ter o gostinho de ser a primeira a chegar uma vez na vida, e também pra ver com meus próprios olhos as novas placas. Sim, é verdade,elas estão lá ;)

Da praça fui conferir a Vaga-Viva da Rua João Manoel. Mas o que seria uma Vaga-Viva? É uma ação atrelada ao Dia Mundial Sem Carro que consiste em transformar uma vaga de estacionamento em espaço de convivência, devolvendo à cidade aquele espaço público outrora privatizado pelo dono do veículo.

Galera aproveitado o espaço público
Quando cheguei já tinha uma galera de bike, reconheci um rosto e fui lá, pondo a cara de pau pra funcionar denovo: Sussa, é você? rs… Conheci pessoalmente o João Lacerda, com quem já tinha trocado diversos e-mails sobre dahons e paraciclos. Ganhei adesivo do Transporte Ativo também. Aos poucos os nomes dos e-mails da lista foram ganhando rostos: BikeUrbanity, Silas, “El Bigodon” e com certeza mais gente que agora não lembro pois eram muitos, mas logo a gente decora…
De lá, o combinado era seguir até a Ghost Bike da Márcia para uma manutenção. Levei tinta e pincel mas nem foi necessário, dada  a quantidade de material e voluntários.
Após arrumar o memorial, rumamos para a praça, batemos papo, reencontramos os amigos e fomos ocupar as vias com nossas bikes. Demos uma volta básica na Paulista e seguimos para a Vila Madalena onde a galera queria colar uns cartazes de divulgação da bicicletada do Dia Mundial Sem Carro.
Pausa na praça Benedito Calixto para consertar um pneu furado. Thiago me liga pra saber onde estamos e após passar as coordenadas pergunto onde ele está, apreensiva achando que quem saiu da Tiradentes a pouco tempo não chegaria antes do término do pit stop da bike. Mas o biker ninja já estava descendo a Cardeal e logo chegou. Oba! Companhia de pedal que há muito não via! Bate papo motivador pra enfrentar a subida da Bela Cintra, onde a minha mega bolsa com roupas e até salto alto estava tirando meu equilíbrio.
Nem chegamos até a praça, fomos direto devolver a bike antes que ela virasse abóbora, pois já passava das 22:00, horário de fechamento dos bicicletários. Consegui devolve-la no Estapar Conjunto Nacional, onde já estão acostumados a receber a bike mais tarde. Aliás, este horário deveria ser ampliado, já pensou quantos estudantes, por exemplo, poderim usufruir da bike pra ir numa boa pra facu?
Tenho que dizer que gostei bastante da bike da Porto, ela é bem melhor que a minha bike do dia-a-dia, com suspensão, componentes Shimano, trocador de marchas rapid alguma coisa.. Aliás, minha bike é bem simples, mas me leva pra onde eu quiser e por isso tenho uma relação de afeto com ela, que mudou a minha vida.
Fim de bicicletada, hora de voltar pra casa feliz, sabendo que logo logo tem mais!

>Bicicletada Extra SP – 18/09/2009 – VagaViva – Use Bike Porto Seguro

>Quando eu criei este blog, nem imaginava que tinha tanto assunto! Fico doida para atualiza-lo sempre mas os próprios eventos ciclísticos acabam de tirando da frente do computador..

Vamos lá, tenho que postar aqui o resultado do Desafio Intermodal que rolou quinta-feira passada em São Paulo:

CHEGADA MODAL TEMPO EM MIN
1º CICLISTA EM BIKE SEM MARCHA 22,33
2º MOTOCICLISTA COMUM 25
3º CICLISTA PROFISSIONAL 25,3
4º HELICÓPTERO 33,5
5º CICLISTA EXPERIENTE POR VIAS RÁPIDAS 37
6º CICLISTA EXPERIENTE POR VIAS LOCAIS 38,2
7º MOTOCICLISTA PROFISSIONAL 42,28
8º CICLISTA INICIANTE POR VIAS LOCAIS 66
9º PEDESTRE CORRENDO 66,3
10º CICLISTA COM BIKE DOBRÁVEL + ÔNIBUS 68
11º ÔNIBUS 71,2
12º CARRO 82
13º TREM +METRÔ 84
14º TREM +ÔNIBUS 89
15º PEDESTRE CAMINHANDO 92
16º TREM+ORCA+METRÔ 99
17º CADEIRANTE + TREM + ÔNIBUS 108
18º ÔNIBUS + METRO 109
Um resultado destes merece reflexão… o pedestre caminhando chegou apenas 10 minutos depois do carro… Diversos modais chegaram antes do carro… (muitas reticências..)
O ciclista chegou primeiro como em todos os demais anos do desafio. (este foi o quarto)
 
(depois eu coloco as fotos aqui, não estou achando, hehe)
 

>Convite Seminário Mobilidade Sustentável em Osasco 21/09

>

Amanhã estarei lá, é importante quem puder comparecer ir conferir as intenções da prefeitura quanto à mobilidade sustentável.
O evento marcará o lançamento do grupo NEMoS (Núcleo Estratégico de Mobilidade Sustentável) onde haverá um subnúcleo transporte não-motorizado (a pé e de bicicleta).
Imperdível!
>Convite Seminário Mobilidade Sustentável em Osasco 21/09

>Desafio intermodal 2009 -São Paulo

>

Hoje na cidade de São Paulo acontece o 4º Desafio Intermodal, um iniciativa de cicloativistas da cidade que visa comparar a eficiência de diversos modais de transporte.
Voluntários sairão hoje às 18:00 hs da Praça General Gentil Falcão, altura do número 1.000 da Berrini, com destino a sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá. Seus tempos serão cronometrados e saberemos na prática, qual o modal mais rápido.
Mas o desafio não para por aí.
O intuito é analisar qual o mais eficiente, levando em consideração além do tempo, o custo financeiro e as emissões de CO2.
Diversas novidades nos modais deste ano:
Pedestre caminhando

Pedestre correndo

Bike Courrier – Ciclista de entregas rápidas

Ciclista iniciante por vias alternativas

Ciclista experiente por vias alternativas

Ciclista experiente por avenidas

Ciclista bici dobrável integrando com Ônibus

Ciclista de fixa

Motoboy

Motociclista comum

Motorista

Ônibus

Trem + Metrô 

Trem + Ônibus

Ônibus + Metrô

Trem + Ponte orca + Metrô

Cadeirante de transporte público + ônibus

Helicóptero

No site do CICLOBR você acompanha detalhes do desafio e os resultados em tempo real num infográfico.
Façam suas apostas e surpreendam-se (ou não, rs..) com o resultado!

Vale lembrar que além do tempo, temos que avaliar qual a melhor alternativa, levando em consideração o impacto para o meio ambiente ao optarmos por uma ou outra e como essa opção se reflete na nossa qualidade de vida.

Após os resultados, cabe a reflexão. Em que cidades queremos viver? Será que minha opção atual é a melhor alternativa? Será que já considerei outras alternativas?
Se você ainda não considerou ou não pensou a respeito, a hora é essa, acompanhe o desafio e faça diferente na próxima terça-feira,  DIA MUNDIAL SEM CARRO.

>Desafio intermodal 2009 -São Paulo

>Praça do Ciclista: agora é oficial!!!

>Mais uma vitória: depois de anos de novela, a Praça do Ciclista, lá na Paulista x Consolação, finalmente “ganhou” sua placa oficial.

Parabéns aos ciclistas que lutaram para que a praça fosse oficialmente reconhecida e não desistiram no caminho dado o desafio que isto se transformou…

A praça serve de referência para a tradicional bicicletada paulistana e ao longo dos anos se transformou em ponto de encontro também para diversos passeios e cicloviagens. Mas, acima de tudo, ela serve para humanizar a cidade, um espaço público de convivência muito bem aproveitado.

Lá discutimos a vida, os rumos da mobilidade urbana, comemoramos a festa junina, contamos piada, planejamos viagens, revemos amigos e fazemos novos..

Uma placa é pouco para tantas histórias de vida que cabem na praça.

>Praça do Ciclista: agora é oficial!!!