Florianópolis – Urubici (e a vontade de viver no interior)

 

P_20170220_062920
Pausa no mirante para contemplar o amanhecer na ilha

Saí bem cedo de Florianópolis para evitar o trânsito mais pesado e segui rumo a BR-282, uma estrada belíssima que dá acesso a Serra do Panelão, caminho para Urubici.

Parei para tomar um café e um senhor me recebeu dizendo “obrigado pelo gentileza!” – explicou que eu havia cedido passagem para ele na estrada, há pouco. Tive então companhia e prosa durante o café.

P_20170220_101135

Chegar a Urubici foi especial. É bom conhecer lugares novos mas também é muito bom voltar aos lugares que te trazem boas lembranças e isso é uma coisa que me encanta em viajar de moto, a facilidade de retornar.

Reencontrei o Glauber e pude ouvir e me inspirar com suas histórias de viagem e da vida.

O feriado de carnaval se aproximava e o Thiago, ficou animado em ir até Urubici me encontrar e passear pelas serras, já a mãe dele, Fátima Santos, a cicloturista que já subiu a Serra do Rio do Rastro pedalando, ficou ainda mais animada em ir de garupa com ele também. Pronto, estava feito o plano da semana. Decidi então ficar por ali, explorando as serras e aguardando os paulistanos.

O clima da serra me encantou. Fazia muito calor durante o dia, então procurávamos sair de manhã ou mais para o fim do dia, quando as temperaturas caíam bem. Vivi dias de interior e descobri um caminho para a paz. A tranquilidade do trânsito, das pessoas, o comércio local, as verduras fresquinhas, o suco natural, as aves, o silêncio, tudo tão simples e perfeito.

O Glauber me mostrou o Morro do Campestre que eu ainda não conhecia, uns 15 km de estrada de chão boa até chegar numa trilha que sobe até o alto do morro, com uma vista belíssima.

 

16819164_10154991282351354_2694906558642626078_o (1)
Moto clássica faz off road sim!

 

P_20170221_084350_PN
Trilha de 30 minutos caminhando tranquilamente e contemplando o lugar
16804357_10154991282831354_3783902144948230925_o (1)
No alto do Morro do Campestre

Foi ele também quem me acompanhou até a Serra do Corvo Branco, onde encarei meu maior desafio com a bonneville,  10 km de cascalho e pedras soltas, um esforço totalmente recompensado pela beleza do lugar. Mesmo já tendo estado ali, me surpreendi com a altura daqueles paredões de pedra e o som que ecoa pelas fendas das rochas. Nenhuma foto ou vídeo é capaz de refletir tamanha imensidão. É ir e ver.

17240699_10208611612387352_5065476339284666464_o
A felicidade de superar limites. Registro do Glauber Leite daquele momento tão especial para mim.

 

Nos demais dias fui até o Morro da Igreja, com sorte de um tempo extremamente aberto e, claro, até a Serra do Rio do Rastro. As estradas de Urubici até estes dois pontos também são incrivelmente belas, cenários perfeitos para muitas reflexões sobre a vida que me foram surgindo.

P_20170221_154025
Estrada do Morro da Igreja e a belíssima vegetação da região

 

P_20170221_160325_PN

P_20170221_160225_BF
Tempo tão aberto a 1.822m de altitude que permite uma selfie com a Pedra Furada ao fundo, é muita, muita sorte. E eu sou uma garota de sorte.

No mirante do Rio do Rastro conversei com um viajante carioca que, segundo ele, não era motociclista, estava motociclista. Retornava de uma viagem de 14.000 km pela América do Sul e me contava com uma serenidade cativante em sua fala. Ao fim me perguntou quando eu voltaria a São Paulo ao que respondi com a maior sinceridade e um sorriso no rosto: eu não sei.

P_20170222_103506
Mirante da Serra do Rio do Rastro

Ouvir as histórias de viagem das pessoas que encontrava no caminho me fazia querer ir cada vez mais longe, era a energia que eu precisava.  Em algum momento que não sei precisar decidi que iria até o Uruguai. Talvez Argentina. Por que não Atacama? Bem, já estávamos falando em cruzar o deserto, existiam algumas limitações, mas naquele momento elas pouco importavam, eu já estava na estrada e tudo que eu queria era aproveitar a oportunidade ao máximo. Ouvimos que o maior desafio é dar o primeiro passo e é a mais pura verdade.

 

Comprei um caderninho para anotar os lugares imperdíveis e as dicas do Glauber e fui deixando que os pensamentos fluíssem livremente. Sim, eu iria até o Uruguai. Com a liberdade de virar e voltar quando sentisse vontade. Ou avançar um pouco mais, quem sabe. O importante naquele momento eram as possibilidades abertas. Provei a liberdade. E gostei.

Passar o feriado com o Thiago e a mãe dele foi muito gostoso, apesar de corrido para eles que tinham data para voltar a São Paulo. E se eu tinha alguma dúvida em seguir ou não viajando, os dois estavam ali pra dizer: vá! Thiago se prontificou a cuidar dos meus gatos em casa e me incentivou assim como sempre incentiva na vida.

P_20170228_105331
Gratidão pelas pessoas incríveis em minha vida

Desci a Serra do Rio do Rastro com eles e lá embaixo nos despedimos. O coração apertou sim, mas por vê-los partir e não por querer voltar. Subi aquela serra magnífica e peguei a estrada até Urubici, na manhã seguinte seguiria para o Rio Grande do Sul.

 

Florianópolis – Urubici (e a vontade de viver no interior)

Motogaragem Urubici

Colaboração minha para a revista Motociclismo falando sobre a Motogaragem, pousada exclusiva para motociclistas em Urubici. Chega de estacionar a moto no cantinho :P

Veja aqui: http://www.motorpress.com.br/moto/especiais/especiais/motogaragem-parada-obrigatoria-em-urubici/

P_20170220_101135

 

 

motogaragem_2_620x467

P_20170226_180405_1

Motogaragem Urubici

8 de março

A Revista Motociclismo convidou suas leitoras a enviarem fotos com suas motos e montou essa galeria belíssima de imagens. Excelente atitude dessa revista que tem dedicado cada vez mais espaço ao público feminino, atendendo ao crescimento de mulheres que entram neste universo, mas coisa ainda rara neste meio. Meus parabéns a revista e aos responsáveis por esta ideia. É assim que nos merecemos ser retratadas! Menos paddock girls, mais mulheres reais vivenciando a liberdade! Parabéns mulheres motociclistas! Orgulho de ver rostinhos conhecidos neste álbum. E aos que se incomodam com a nossa presença cada vez mais constante nas ruas, nas estradas e nos grupos de motociclismo: vai ter mulher pilotando sim, e se ficar reclamando, vamos levar mais uma na garupa :P

http://carroonline.terra.com.br/motociclismoonline/noticias/ultimas-noticias/feliz-dia-da-mulher/

 

Morro da Igreja - Parque Nacional de São Joaquim - SC - dez/2013 - Intruder 250
Morro da Igreja – Parque Nacional de São Joaquim – SC – dez/2013 – Intruder 250
8 de março

Imagens do 3° dia: Floripa e ida frustrada, mas divertida, ao Morro da Igreja

Registros do dia belíssimo que pegamos em Floripa (recompensa merecida depois da chuva do dia anterior) e a nossa tentativa (divertidíssima!) de subir ao Morro da Igreja, frustrada devido à neblina!

E até hoje eu acho que o Thiago realmente queria seguir em frente, mesmo sem enxergar nada!!!

Relatos deste dia aqui

Imagens do 3° dia: Floripa e ida frustrada, mas divertida, ao Morro da Igreja