La Paloma

Sugestão de música para este relato de viagem, clique aqui para ouvir

Quando amanheceu em La Paloma, decidi caminhar até a praia. Levei um bom tempo neste pequeno trajeto pois havia muitas aves no caminho para observar, eu simplesmente não conseguia deixar de aprecia-las, ninho no poste, aves caminhando na calçada… (já contei sobre meu amor pelas aves não é?)

A praia… Um longo suspiro ao lembrar dela enquanto tento descrevê-la nestas linhas, como se fosse possível descrever La Paloma com palavras, com imagens, que não a experiência de estar ali. Uma praia belíssima, com muitas formações rochosas adentrando o mar e uma areia grossa, fofa, gostosa de pisar e forrada de conchas dos mais variados tipos e formas. Eu, adepta do “tire da natureza apenas fotos e leve apenas suas recordações” confesso que não resisti e comecei a pegar algumas conchas como recordação, enquanto sentia culpa e me perguntava como é que eu ía levar essas conchinhas delicadas na bagagem da moto de volta pro Brasil. Sim, eu dei um jeitinho e, no fim das contas, acho que não fui tão criminosa assim em minha coleta.

Passei aquele dia na praia, caminhando, contemplando e pensando na vida.

La Paloma, assim como Cabo Polonio, também tem seu farol, de onde parece que é possível avistar baleias em algumas épocas do ano e, embora eu não tenha vivido tamanha experiência, subir num farol pela primeira vez foi encantador.

P_20170307_173010P_20170307_173908_PNP_20170307_175539_HDR

Em 1872, El Faro del Cabo de Santa Maria, já praticamente pronto, foi destruído por um forte temporal, e 17 pessoas morreram na “tragédia del faro”. Seus corpos foram sepultados próximo ao farol, num local chamado de “El Cementerio del Faro Viejo”. Conta-se que o farol estava sendo construído com água do mar, de difícil fixação dos materiais. Uma história triste sobre as forças da natureza e uma memória importante a ser mantida.

Um vídeo feito lá do alto do farol – clique aqui ;)

Meu dia em La Paloma terminou com um pôr-do-sol estonteante, que contemplei sentada nos rochedos da praia, com meus pés sendo tocados pelo mar. Dá pra imaginar? Até dá né, mas viver isso é indescritível. Se você não conhece este lugar, vá. Todo mundo precisa viver La Paloma. Se nada der certo nesta vida brasileira, eu vou me exilar ali e viver da minha arte, feita do que a natureza uruguaia dá :)

123

 Foi sem dúvida o lugar do Uruguai que mais amei. Se você tiver um dia só naquele país, passe-o ali.

Eu voltei pro Brasil, mas um pouco do meu coração ficou lá, ou será que um pouco do lugar veio junto comigo?

45

Anúncios
La Paloma

Motogaragem Urubici

Colaboração minha para a revista Motociclismo falando sobre a Motogaragem, pousada exclusiva para motociclistas em Urubici. Chega de estacionar a moto no cantinho :P

Veja aqui: http://www.motorpress.com.br/moto/especiais/especiais/motogaragem-parada-obrigatoria-em-urubici/

P_20170220_101135

 

 

motogaragem_2_620x467

P_20170226_180405_1

Motogaragem Urubici

E a sua primeira moto? A minha foi roubada.

Você se lembra da sua primeira moto? O que aconteceu com ela? Bom, a minha infelizmente foi roubada.

Fiquei 1 ano com essa Intruder 250, uma relíquia que fui buscar em Itapetininga com apenas 12 mil km e impecável. Vendi para um vizinho, gente finíssima, que sonhava em ter essa moto quando ela foi lançada, fiquei feliz demais com isso. Mas infelizmente essa moto foi roubada na região da Rua Vergueiro em São Paulo. Foi com lágrimas nos olhos que ele me contou isso, poucos meses depois de sua aquisição.

 

Em nossa última viagem, empoeirada no Morro da Igreja - SC
Em nossa última viagem, empoeirada no Morro da Igreja – SC

 

Muita gente me escreve até hoje sobre essa moto e é muito gostoso conhecer as histórias de cada um, amizades virtuais se tornaram reais por causa disso também.

Infelizmente também soube do ocorrido muito tempo depois, mas mesmo assim quero deixar registrado, caso alguém tenha notícias da moto, ou de peças dela (conheço cada parafuso…) e, ainda, um alerta quanto aos cuidados com furtos pois como podemos ver, não existe moto “não visada”. E, claro, faça sua parte: não alimente o crime, não compre peças usadas de procedência duvidosa, a próxima vítima pode ser você.

 

intruder

E a sua primeira moto? A minha foi roubada.

Habilitação de moto #comofaz

A triste burocracia para adicionar a categoria A e me habilitar para moto. Triste porque você faz todo o processo sabendo que as 15 aulas práticas que te aguardam não vão ensinar o que você precisa saber pra sair pilotando uma moto pelas ruas.

Fiz o cadastro das minhas impressões digitais no Detran, paguei a moto-escola, fiz o exame médico (uma piada..) e saiu a liberação para as aulas, com atrasos pois a clínica preencheu minha planilha médica errado e a moto-escola não havia conferido.. Enfim.. Vamos às aulas!

Em São Paulo as aulas são feitas no Parque do Ibirapuera, numa pista totalmente improvisada, algo inacreditável.. pegaram parte de um estacionamento, fizeram uma pintura tosca no chão e pronto! É dali que saem os futuros motociclistas dessa cidade.. isso explica muito do que se vê nas ruas, mas ninguém lembra disso né? É mais fácil dizer que moto é perigoso e que motoqueiro é tudo doido.. Investir em capacitação de verdade? Que nada! Muito acidente? Aumenta o valor do DPVAT pra moto e tá tudo certo! Lamentável…

Bom, eu procurei pesquisar sobre as aulas e pedir dicas pra quem já passou por isso. O Thiago me explicou os comandos da moto na teoria, já avisou que eu andaria somente em primeira marcha e pra não ter muita expectativa pois o objetivo das aulas seria ensinar simplesmente a passar no exame.

Primeira aula, conheci meu instrutor, dei sorte, um cara paciente e atencioso, mas que realmente só iria me ensinar o necessário para passar no exame. Primeiras lições: treinar andar e parar. Para quem nunca tinha pilotado uma moto, fui bem. Fiz 3 aulas (2 horas) neste dia treinando andar e parar. No dia seguinte, foi a vez de treinar um pouco de curvas: treinar curvas neste caso = fazer algumas curvas para os dois lados para o instrutor avaliar se eu já estava apta a entrar no circuito com as marcações no solo. Acredito que o equilíbrio vem muito da bicicleta mas senti muita dificuldade em fazer as curvas pro lado esquerdo, e ainda estranhava muito o peso da moto. Ah! Neste dia peguei uma moto sem partida elétrica. Bom pra aprender a ter medo de deixar a moto morrer, por preguiça de liga-la no pedal, rs.. mas era importante aprender!

No circuito, curva em 8, labirinto, cones, 3 paradas obrigatórias e uma linha reta, que chamam de “prancha”. A partir daí, foi treinar a cada aula o circuito. Divindo a pista com mais alunos, pegando fila pra começar (às vezes com 15 motos esperando pra entrar no circuito..)

Cones, fila na parada obrigatória (a pintura de "PARE" é um espetáculo à parte..) e a "prancha" pra você seguir reto

Confesso que eu ía pras aulas sem muita animação. Sim, era legal andar de moto, mas só aquilo e feito daquela forma…

A dica que dou pra quem vai começar as aulas é: aprenda a parar! E treine bastante, pois o responsável pela sua segurança nas aulas é você mesmo, apenas..
Tem muita gente circulando, de moto, a pé, às vezes os instrutores sem noção vão guardar a moto e passam acelerando perto de você.. é manter a calma e saber como parar em caso de necessidade.

Repare: sempre tem alguém "vagando" de moto fora do circuito
Repare: sempre tem alguém “vagando” de moto fora do circuito

No primeiro dia, assim que cheguei, uma moça estava na aula quando esbarrou de leve na traseira de um táxi (parado onde não deveria, claro!), se desequilibrou, com o susto ao invés de frear, ela acelerou e foi parar no meio das motos estacionadas. Estava devagar, foi só um susto, mas tenha em mente: segurança! Fique atento em volta, tem aluno que é apressadinho, fuja deles.. dê a sua vez na fila, mas mantenha distância de gente sem noção… repare se tem alguém saindo com a moto pelos cantos da pista.. é muito comum o pessoal entrar no meio do circuito sem nem olhar se vem alguém. E procure se concentrar. Foco no que está fazendo, como está fazendo, zelando pela segurança, a sua e a dos demais e tendo sempre em mente o objetivo: passar no exame.

Depois disso, é realmente aprender, não na rua, na avenida, no meio dos carros… porque infelizmente, é essa a dura realidade da habilitação.. seja adestrado a fazer alguns movimentos e pronto! O Detran vai te considerar apto a ir pra rua em cima de uma moto.. caberá a você ter o bom senso e saber quando vai estar realmente pronto. Não deveria ser assim.. mas é.

Habilitação de moto #comofaz

Banho, finalmente!

E finalmente um tratamento digno para a XT 600 do Thiago! Depois de rodar 2.500 kms pelo sul do Brasil, uma lavagem completa no Bar do Santa.

Pra quem gosta de motos, vale a pena conferir o lugar! O serviço é caprichado e você acompanha toda a lavagem da sua moto confortavelmente acomodado em uma das mesas do bar, degustando petiscos deliciosos (mas sem beber porque, lembre-se, você vai sair dali pilotando!) 

Aliás, você entra com moto e tudo no bar! Divertido!

Image

A trail intrusa no meio das customs:)

Banho, finalmente!