>Conhecendo a Ciclovia Rio Pinheiros

>

Com apenas dois acessos e horário extremamente limitado, mas é um começo…
A primeira coisa que avistei ao desembarcar do trem foi esta faixa. Em vermelho, e bem à vista dos motoristas que passavam pela marginal Pinheiros, o apelo: RESPEITE O CICLISTA!
Como estava com a bicicleta dobrável, parei no bicicletário Vila Olimpia para desdobra-la e fui recebida por aquele sorriso e simpatia já conhecidos do funcionário da CPTM que recepciona as bicicletas por ali. Ao chegar na entrada da ciclovia, mais uma funcionária sorridente que me passou as instruções de como seria a inauguração, que já poderia atravessar a passarela e aguardar do outro lado, e me sugeriu a utilização dos trilhos laterais aos degraus para não ter que carregar a bike escada acima.
Devo dizer que os trilhos ajudam sim, na subida, mas na descida não ficou muito funcional, pelo menos pra mim, que preferi carregar a bicicleta, o que também não é nenhum problema, já que faço isso diariamente para chegar à estação de trem Osasco. Muitos ciclistas empinaram a bicicleta e encaixaram a roda traseira no trilho. Questão de jeito e opção, experimente a melhor alternativa!
No local, mapas do projeto do Parque Linear do Rio Pinheiros contemplavam a ciclovia completa ainda a ser construída (ou adequados pois a pista já existe em quase toda a extensão), indicando os futuros acessos e passarelas, desde Grajaú até o Cebolão.

Não está muito nítido, mas os círculos azuis são os acessos a serem instalados e em laranja, as passarelas.
Presenças:

Os operários que executarem a obra e à frente Soninha Francine, sub-prefeita da Lapa e cidadã que pedala pela cidade, além de utilizar o transporte público em seus deslocamentos.

Renata Falzoni, repórter e apresentadora da ESPN, cicloativista fundadora do Night Bikers, Teresa D’Aprile, fundadora do Saia na noite e a animação das garotas do Saia.
Walter Feldman, secretário dos esportes, que abraçou de vez as bicicletas também como transporte.
E o secretário do verde e meio ambiente, Eduardo Jorge que se desloca de bicicleta pela cidade e que infelizmente não consegui fotografar. (espero encontrar uma foto dele e postar aqui em breve!)

A ciclovia é compartilhada com os carros de serviço da EMAE. As pistas são bem sinalizadas e também os limites de velocidade.

(foto em movimento, sou péssima, rs..)
Pedalar às margens do Rio Pinheiros é agradável e ao mesmo tempo chocante.. ver na prática um rio de águas poluídas, cheio de garrafas boiando em muitos trechos, faz pensar em muitas coisas.. e mesmo assim, com tanto descaso, a vida ainda brota por ali. Capivaras e aves são facilmente avistadas, o que dá uma certa esperança de que pode ser diferente.
No km 7 há um posto de apoio ao ciclista:
A grande expectativa que fica é de que os acessos sejam rapidamente ampliados e principalmente, o horário seja extendido. Atualmente a ciclovia funciona das 6h às 18h, o que não contempla o trabalhador que cumpre o horário comercial e encontra uma ciclovia fechada no final do dia. Esperamos que a iluminação seja instalada de imediato para que a Ciclovia do Rio Pinheiros não se transforme numa nova ciclovia inacabada como a da Radial Leste. Infelizmente os exemplos das obras anteriores são desanimadores, mas esperamos MESMO que desta vez seja diferente.
PS: o que eu acho mais engraçado nisso tudo é ouvir prefeito e governador se gabarem de termos uns 10km de ciclovias dentro de parques na cidade de São Paulo. Agora temos 24km!!! Nossa, deveriam ter vergonha de divulgar estes números ridículos!
Anúncios
>Conhecendo a Ciclovia Rio Pinheiros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s